O secretário de Planejamento e Finanças do Rio Grande do Norte, Aldemir Freire disse em entrevista que um eventual corte de até 50% nos recursos destinados ao Sistema S pode comprometer o crescimento econômico do estado.

Ele disse acreditar que a medida afetaria a inserção de trabalhadores no mercado de trabalho. “Entendemos que o Sistema S tem uma flexibilidade de adequação da oferta de cursos à demanda muito mais ágil do que as instituições federais e estaduais. Obviamente que cortes de investimentos na área trarão prejuízos para qualificação profissional”, declarou à Agência do Rádio.

Aldemir Freire argumentou que o mercado potiguar passou alguns anos sofrendo com demissões e precisa de qualificação para adequar a mão de obra a esse novo tempo de retomada, pelo menos na indústria de petróleo.

No SENAI Rio Grande do Norte, apenas nos três primeiros meses deste ano foram oferecidas quase 4,5 mil vagas gratuitas, sendo que destas quase 2,4 mil foram preenchidas em cursos de formação inicial e técnica profissional de nível médio.