O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi abordado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta segunda-feira (21) na UBS Congós, na zona sul de Macapá, logo após tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

"Senador, senador, só uma palavrinha com o senhor. Por que aquela CPI da palhaçada lá em Brasília?", perguntou o homem, que usava uma máscara estampada com a imagem de Bolsonaro e gravou em vídeo a sua intervenção. "Que a gente vai prender Jair Bolsonaro", respondeu Randolfe.

"Não vai prender nunca. Sabe por quê? Deus está com ele. Em vez de vocês estarem perseguindo o Bolsonaro, vocês deveriam estar cuidando do país, que está doente", replicou o apoiador. "Graças a Bolsonaro", disse Randolfe.

O homem ainda disse que o presidente não matou ninguém e que Randolfe, sim, "ajudou a matar pessoas no Brasil" por ser político. O senador protestou responsabilizando Bolsonaro pelas 500 mil vítimas do novo coronavírus e chamando Bolsonaro de "genocida".

"O momento seria todo cheio de aleagria se não fosse, ao final do meu ato de vacinação, a agressão desmedida por um militante das milícias, que lamentavelmente andam por todo o canto do país", disse Randolfe Rodrigues em vídeo gravado após o episódio. "Aos membros dessas milícias, eu advirto: nós não seremos intimidados."

Fonte: Folha