Uma mulher desaparecida por dois anos foi achada boiando a cerca de 2,5 quilômetros de uma praia em Puerto Colombia (Colômbia) por um pescador no último sábado (26/9).

Angelica Gaitán, de 46 anos, estava com hipotermia e bastante debilitada quando foi resgatada por Rolando Visbal. A mulher havia perdido contato com a família havia dois anos.

De acordo com a imprensa local, Angelica estava no mar havia oito horas. A colombiana chegou a um hospital da cidade em estado de choque.

O paradeiro dela e o que fez nos dois anos de desaparecida estão sendo investigados pela polícia.

A rádio RCN informou que Angelica se jogou no mar para escapar dos abusos físicos e psicológicos que ela sofria do ex-marido, com quem ficou por 20 anos. O relacionamento não tinha o apoio da família dela, que vive em Bogotá.

"Os maus-tratos começaram na minha primeira gravidez. Ele agia violentamente comigo. A violência continuou na segunda gravidez, mas não podia sair de casa porque as meninas eram pequenas. Eu o denunciava, ele era preso, mas voltava para casa 24 horas depois, e se repetiam as agressões", comentou Angelica à rádio.

 

La mujer rescatada de aguas del mar Caribe en Salgar, Puerto Colombia, fue identificada como Angélica Gaitán, de 46 años, al ser atendida en el hospital de dicho corregimiento, y lo bueno es que goza de una salud estable. @salud_atlantico @ALCPTOCOLOMBIA pic.twitter.com/hYrx6HmCeW

— Jorge Jesús Montaño Acosta (@jormon26) September 26, 2020

 

Fonte: Extra