Tumores cerebrais são provocados quando um conjunto de células dentro do cérebro cresce desordenadamente causando vários sintomas que prejudicam a função normal do sistema nervoso central.

Existem 2 tipos mais comuns de tumores, eles são:

Primário: Sua origem ocorre em células dentro do cérebro ou em suas proximidades, podendo ser maligna ou benigna
Secundário: são chamadas metástases cerebrais que são tumores malignos e geralmente são muito agressivas.
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 11.090 casos foram diagnosticados em 2020. Destes, 5.870 foram em homens e 5.220 em mulheres. O total de óbitos registrados foi de 9.712, número considerado muito alto.

Quais são os riscos de desenvolver tumores cerebrais?

Existem muitos estudos em desenvolvimento para decifrar como e por que tantos casos de tumores cerebrais ocorrem. O que a ciência entende é que é uma doença originária de vários fatores, que podem ser genéticos ou devido aos hábitos de vida.No entanto, sabe-se que profissionais que trabalham com raios-X e pessoas que são tratadas com tomografia correm mais risco de desenvolver essa doença.

Além disso, pessoas com deficiência do sistema imunológico, seja causada por vírus como o HIV ou por excesso de drogas destinadas ao tratamento do sistema imunológico, também têm seus riscos aumentados.

Quais são os principais sinais e sintomas?

Episódios de dores de cabeça severas, que em adultos geralmente acontecem com mais frequência à noite, além de:

Alterações visuais como visão embaçada ou dupla;
Paralisia de membros e rosto;
Perda de equilíbrio;
Convulsões;
Mudanças de comportamento;
Mudanças na expressão verbal; e
Dificuldade na memorização e perda de memória. 
Em crianças, os sintomas são os mesmos descritos acima, mas também podemos observar alterações no desempenho escolar, vômitos e náuseas.

É muito importante notar qualquer um dos sintomas descritos acima para relatar ao médico para realizar a investigação e o tratamento adequado.

Como é feito o diagnóstico de tumores cerebrais?

Para diagnóstico, são realizadas imagens com Tomografia Computadorizada (TC) e Ressonância Magnética (RM) com contraste. Também são realizados testes mais complexos como Angiografia e Ressonância Magnética, espectroscopia, permeabilidade, difusão, entre outros.

Existem alguns tumores que precisam ser investigados por meio de exames laboratoriais, campusestry, audiometria, além de consultas e outros tipos de exames de outras especialidades.

Com informações do Terra Brasil Notícias.