A governadora Fátima Bezerra (PT) reagiu ainda na noite desta terça-feira (24) ao pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, onde ele pediu a reabertura do comércio e das escolas e o fim do isolamento no país, restringindo a proteção apenas aos idosos – grupo de risco para o coronavírus. Para a petista, a posição do presidente é um “equívoco” e vai “na contramão” do que é defendido pelo Ministério da Saúde.

A Folha de São Paulo, Fátima Bezerra disse que a declaração "é de uma perplexidade sem tamanho, é inaceitável e lamentável". "Confesso que depois da iniciativa do presidente, de ter atendido os governadores, achei que fosse mudar", disse ela. "E aí hoje ele vem com essa postura e com esse conteúdo, totalmente na contramão de todas as medidas que, com tanto esforço e responsabilidade, os governadores e prefeitos vêm enfrentando a pandemia?".

“Para muito além de quaisquer divergências políticas, o que se trata aqui é de proteger a saúde da população. Faço coro às palavras dos Secretários de Saúde do Nordeste. Não há neste momento tão delicado o desejo nenhum de politizar a discussão, mas o pronunciamento de hoje do Presidente é um equívoco! Vai na contramão de todas as medidas defendidas pelos Estados e municípios em sintonia com o Ministério da Saúde e pela própria sociedade”, disse a governadora.

Fátima destacou que o Governo manterá o trabalho de combate e prevenção ao Covid-19. Inclusive, emitiu nesta terça-feira (25) um novo decreto, com medidas ainda mais duras em relação ao isolamento social.

De acordo com a petista, “a pandemia acontece a nível mundial, é impossível de ser ignorada. No que compete ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte nós vamos seguir as medidas recomendadas pelo Ministério da Saúde, bem como pela Organização Mundial de Saúde, e que já são adotadas por diversos países que enfrentam hoje a mesma batalha”.