A operação da Polícia Civil do Rio Grande do Norte que prendeu dois homens, um deles em Alexandria, com explosivos, fuzis, munições e coletes balísticos, coibiu um plano de ataque à penitenciária de Alcaçuz, localizada em Nísia Floresta. De acordo com o delegado do caso, os criminosos planejavam resgatar presos da unidade.

A informação foi confirmada por Camilo Cassimiro Nunes, conhecido como “Camilo Bombado”, 31 anos, afirmou o delegado Erick Gomes, da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor). Camilo Cassimiro e Allan Pereira Paes Maciel, conhecido como “Allan Capacete”, 25 anos, foram presos no sábado (17). 

"Nós identificamos que o presídio se tratava da Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga [conhecida como penitenciária de Alcaçuz], uma vez que lá se encontra, por ser de segurança máxima estadual, dezenas de bandidos de alta periculosidade. A maioria deles presos e capturados por nossa unidade, a Deicor. Isso seria grave", disse o delegado.

A Polícia Civil informou que a dupla é suspeita de fazer parte de uma facção criminosa e são investigados por assaltos a agências bancárias de São Paulo do Potengi em outubro do ano passado.

A quadrilha vem sendo investigada há aproximadamente 3 anos pela Deicor. "O Camilo Bombado era um dos seus principais líderes, pois até o sábado (19) os demais criminosos haviam sido presos ou mortos pela nossa unidade. Camilo, então, se tornou prioridade para a nossa divisão, haja vista sua expertise no crime e sua vida pregressa", disse o delegado Erick Gomes.

As investigações ainda continuam e mais 3 alvos devem ter mandados de prisão expedidos nos próximos dias, adiantou Erick Gomes.

Fonte: Tribuna do Norte