Um alerta emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que foi identificado um caso de H1N2 no Paraná. Trata-se de uma mulher de 22 anos, que trabalha em um frigorífico que abate porcos em Ibiporã, no Norte do estado. Um estudo de rastreabilidade da doença está sendo realizado e não há nenhuma evidência de que a transmissão tenha sido de suínos para humanos. A mulher apresentou sintomas de gripe, foi medicada com oseltamivir (Tamiflu) e se recuperou. Houve registro de um outro caso suspeito no mesmo local de trabalho, mas não foi realizado exame capaz de comprovar a presença viral. No mundo, foram registradas apenas 26 confirmações de H1N2 desde 2005. O alerta da OMS avisa que a variante identificada tem potencial pandêmico, o que é comum em doenças causadas por vírus.

A paciente apresentou sintomas no dia 12 de abril, procurou atendimento médico no dia 14 e a coleta para exames aconteceu no dia 16. O resultado apontou um vírus influenza A não subtipável. Por isso, o material foi enviado para Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fez o sequenciamento genético capaz de comprovar que se tratava de uma variante do H1N2, ou H1N2v.

Procurada, a Secretaria de Saúde do Paraná (Sesa) confirmou a situação, detalhando que a mulher mora em Nova Santa Bárbara e trabalha em Ibiporã. Destacou ainda que outro caso foi registrado no Paraná, em 2015, na cidade de Castro, sem maiores consequências. A Sesa também informou que está sendo realizada uma investigação epidemiológica e laboratorial em vários municípios da região Norte, envolvendo os trabalhadores do frigorífico e também outras pessoas que possam ter tido contato com contaminados.