Mesmo com aumento de casos de covid-19 após as eleições municipais, a pandemia ainda está em situação de controle no Rio Grande do Norte. É o que diz um relatório divulgado pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte nesta nesta terça-feira (2). Ainda assim, pesquisadores recomendaram prefeituras e governo do estado reforcem as fiscalizações acerca das medidas preventivas e ampliem o número de leitos de UTI se ocupação for maior que 60% por três dias seguidos.

Os pesquisadores ressaltaram a importância de haver uma campanha de conscientização da população potiguar para reforçar as medidas de prevenção à contaminação. Também foi recomendado às autoridades que elas retomem e aumentem as fiscalizações em luagres propícios a aglomerações. Às autoridades, ainda foi pedido que emitam devem notas técnicas sobre como ocorrerrão as festas de final de ano, sobretudo em locais públicos, meios de hospedagem e outros estabelecimentos.

"Com o objetivo de se evitar um retrocesso das atividades econômicas, torna-se impreterível que os poderes públicos, estadual e municipais, voltem a tomar medidas de conscientização e controle", afirma o documento.

O grupo apontou também como deveria se dar o aumento da disponibilidade de leitos e devem ser tomadas as ações, a depender da demanda de pacientes por Unidades de Terapia Intensiva (UTI)

"Caso a taxa de ocupação de leitos críticos do RN ultrapasse os 60% por mais de três dias, o estado deve organizar imediatamente um plano de contingência para ampliar os leitos em 20%, o qual deve ser rapidamente implementado quando a taxa estiver em 70%. aso a taxa de ocupação de leitos críticos SUS do RN chegue aos 80%, o estado deve imediatamente iniciar um processo de ampliação de leitos em mais 30%, podendo o RN voltar a ter mais de 300 leitos críticos para covid-19".

"Se depois de ampliar a rede assistencial, a taxa de ocupação de leitos críticos covid-19 no SUS ainda estiver maior que 70% e a taxa de transmissibilidade superior 1.03 no RN, outras medidas sanitárias mais rígidas deverão ser tomadas", diz o rela´torio.

Os pesquisadores dizem que o governo deve ainda pedir aos municípios que não implementem ou executem ações que possam gerar aglomerações até que a pressão por leitos críticos covid-19 no Sistema Único de Saúde (SUS) fique abaixo de 40% por um período superior a 5 dias.

Situação segue sob controle

Ainda que tenha havido um crescimento maior que 50% no número de casos em comparação período anterior às eleições, os estudiosos disseram que não foi registrado um aumento na quantidade de óbitos diários, o que, somado a outros fatores, ainda torna possível afirmar que a situação está controlada.

O documento pontuou também que houve aumento da ocupação de leitos, mas que a quantidade disponibilizada diminuiu, fator que colaborou para que o percentual de ocupação subisse. 

Fonte: G1