Desde que alcançou o poder, em 2013, Maduro viu o PIB da Venezuela passar dos, então, 258,9 bilhões de dólares (R$ 1,35 trilhão), que tinha na época, para apenas 42,5 bilhões de dólares (R$ 222 bilhões) atuais, uma queda de 83,5%.

O quadro econômico venezuelano foi especialmente ruim nos últimos dois anos, quando a economia mundial apresentou seu pior desempenho em décadas diante do quadro causado pela pandemia de Covid-19. Em 2019, por exemplo, o PIB do país vizinho caiu 35%. Em 2020, por sua vez, esse número reduziu em mais 30%.

O quadro da Venezuela é preocupante em 2021. Com um contexto em que boa parte do mundo deve se recuperar este ano em face das quedas devido à pandemia, o país sul-americano será um dos poucos países que permanecerá no vermelho, junto com nações como Mianmar (-8,9%), Butão (-1,9%) e Belarus (-0,4%).

Em outras palavras, é a nação que apresentará o maior colapso este ano. É preciso dizer que o FMI não possui dados para a Síria, Líbia e Saara Ocidental. E a tendência também deve se manter em 2022, segundo dados do FMI, ano em que o país deve ter uma queda de 5%, que seria, apesar de ruim, o menor valor de queda desde 2014.

Fonte: Terra Brasil Notícias