A Sondagem das indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, revela que, no mês de fevereiro, a produção industrial potiguar registrou declínio pelo terceiro mês consecutivo, mas menos intenso do que nos levantamentos anteriores. A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) manteve-se estável na passagem de janeiro para fevereiro, em 66%, mas ainda é considerado pelos empresários consultados como abaixo do padrão usual para o mês, comportamento que se vem repetindo ininterruptamente desde agosto de 2018. Acompanhando a queda da produção, o emprego industrial também recuou entre janeiro e fevereiro.

Os estoques de produtos finais registraram queda moderada e ficaram abaixo do nível planejado pelo conjunto da indústria. As expectativas dos empresários industriais para os próximos seis meses com relação à demanda, ao número de empregados, às compras de matérias-primas e às exportações continuam positivas, mas menos otimistas. O índice de intenções de investimento, por sua vez, registrou recuo na comparação mensal, mas crescimento significativo na comparação com o mesmo mês de 2018.

Quando comparados os resultados por porte de empresa pesquisado, observa-se, em alguns aspectos comportamento divergente, com as pequenas indústrias em situação mais desfavorável. Estas reportaram queda na produção e nos estoques de produtos finais, estabilidade no emprego; seguem pessimistas com relação ao número de empregados e as compras de insumos, e preveem manutenção da quantidade exportada de seus produtos. As médias e grandes empresas, por sua vez, sinalizaram estabilidade na produção, aumento nos estoques de bens finais e queda no emprego; e esperam aumento no pessoal ocupado, nas compras de matérias-primas e nas vendas externas nos próximos seis meses.

Os resultados da Sondagem das Indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, realizada entre os dias 1 e 19 de março de 2019, mostram que a atividade industrial potiguar registrou nova queda em fevereiro, porém mais moderada do que a verificada no mês anterior.