20190813153013fHzfre.jpg

13/08/2019 15:26

Fátima quer financiamento de agência francesa para ações da agricultura no RN

Fotos: Derick Nunes/ASSECOM/RN

Fátima quer financiamento de agência francesa para ações da agricultura no RN

A governadora do Estado Fátima Bezerra, acompanhada do secretário de Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf), Alexandre Lima, participaram hoje (13) de uma reunião em Brasília com o diretor da Agence Française de Développement (AFD), Felipe Orleangi. “O resultado desse encontro foi bastante positivo e já agendamos uma visita dele ao Rio Grande do Norte, pelo qual agradeço desde já a atenção, com objetivo de avançarmos nas tratativas concretas no que diz respeito às possíveis parcerias”, disse Fátima.

A visita do diretor da AFD, agendada para a segunda quinzena de setembro, incluirá a experiência Central da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Cecafes). “Abrimos um importante diálogo com a AFD e ficou claro um alinhamento do Governo do Estado às estratégias da agência francesa, como a produção de alimentos saudáveis, as questões ambientais e o fortalecimento do cooperativismo”, ressaltou Alexandre Lima.

Segundo o secretário, o Governo do Estado pretende prospectar uma parceria para financiamento de ações da agricultura familiar no Rio Grande do Norte. “Apresentamos nossas estratégias para fortalecer a agricultura familiar, como o incentivo às cooperativas, o Programa de Compras Governamentais da Agricultura Familiar, a centralidade das mulheres rurais e os demais programas e projetos desenvolvidos”, colocou o secretário.

ATUAÇÃO EM VÁRIOS PAÍSES - O grupo da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) financia ações relacionadas ao clima, biodiversidade, educação, planejamento urbano, saúde, governança, entre outros, envolvida em mais de quatro mil projetos na França e 115 países. A AFD atua na agricultura sustentável, melhorando as capacidades produtivas da agricultura camponesa e o desenvolvimento de infraestruturas rurais. Apoia, também, a intensificação agroecológica e o desenvolvimento de paisagens agrícolas sustentáveis, com foco na segurança alimentar.

Em 2016, por exemplo, a agência contribuiu com 603 milhões de euros na África Subsaariana, para a governança da segurança alimentar. No Brasil, a AFD atua nas regiões sul, sudeste e nordeste. No Sul, está presente no Rio Grande do Sul (em projetos sustentáveis na área de meio ambiente e clima), Santa Catarina (em projetos de tratamento de águas residuais) e Paraná (em projetos de desenvolvimento urbano e rural sustentável e de mobilidade urbana).

Já no Sudeste, atua em São Paulo (na área de trens urbanos), Rio de Janeiro (em parcerias público-privadas e na área de mobilidade urbana) e em Minas Gerais (em projetos climáticos). No Nordeste, até o momento atua apenas na Bahia, na área de energias renováveis.

Em março, o Governo do Estado manteve contato semelhante com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), agência ligada às Nações Unidas, que investe na população rural para contribuir com a redução da pobreza e aumentar a segurança alimentar, entre outros objetivos, através de doações e empréstimos a juros baixos. 

PUBLICIDADE

MAIS ACESSADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS