O grupo Carrefour anunciou, na madrugada desta quarta-feira (24), que fechou acordo de compra da rede de supermercados Big (ex-Walmart), avaliada em R$ 7,5 bilhões.

O fato relevante publicado pela empresa compradora afirma que “a aquisição do Grupo BIG expandirá a presença do Carrefour Brasil em regiões onde tem penetração limitada, como o Nordeste e Sul do país, e que oferecem forte potencial de crescimento. A rede de lojas do Grupo BIG, portanto, apresenta forte complementaridade geográfica”.

O Grupo Carrefour Brasil atua há mais de 40 anos no Brasil, com lojas em 150 cidades, nos 26 estados e no Distrito Federal.

Já o Grupo Big é controlado pelo fundo de investimento Advent, que comprou a operação da companhia americana Walmart em 2018. Desde então, os novos controladores fizeram uma operação de reestruturação do Walmart, que nunca teve vida fácil no Brasil. Fechamento de unidades deficitárias e até o fim da marca Walmart no Brasil foram algumas das decisões da Advent.

A empresa pretendia fazer uma abertura de capital na bolsa brasileira em 2021. No prospecto enviado para os investidores, a empresa mostrou fortes resultados. A receita líquida de janeiro a setembro foi de R$ 15,7 bilhões, alta de 5,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o lucro foi de R$ 3,06 bilhões, o que fez a empresa reverter um prejuízo de R$ 80 milhões nos nove primeiros meses de 2019. 

Segundo a varejista, a oferta primária serviria para abrir novas lojas de atacarejo, postos de combustíveil e conversão dos hipermercados para atender o setor de atacado. 

Segundo o ranking Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (Ibevar) a empresa é quarta maior varejista do Brasil. Se for contada apenas o varejo de alimentação, está atrás apenas do próprio Carrefour e também do Grupo Pão de Açúcar.

O Grupo Big possui sete marcas no país, como Sam’s Club, Superbompreço, Maxxi Atacado e Mercadoramma, além do próprio Big. No total, a empresa possui 389 lojas espalhadas por 181 cidades. 

Para ser concretizado, o negócio precisa do aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Em nota, o Carrefour diz esperar que a operação seja concluída em 2022.