O Ministério da Economia vai colocar no Plano de Equilíbrio Fisca de socorro aos Estados em crise financeira, uma restrição para que o presidente, governadores e prefeitos sejam impedidos de dar aumentos salariais aos servidores públicos em parcelas que ultrapassem seus próprios mandatos. 

A notícia foi destaque no Estadão deste sábado (04). Segundo a reportagem, a folha de pagamento dos servidoresé o item das despesas que mais pressiona as contas dos Estados. O plano de socorro aos Estados está em fase final de elaboração e depende do aval político do Palácio do Planalto para ser enviado ao Contresso Nacional.