Educação Dialógica

201906101205128BnDMR.jpg

10/06/2019 12:02

Rogério sobre assumir o MEC: "só especulação"

Rogério sobre assumir o MEC: "só especulação"

Nome forte entre os membros da equipe do governo de Jair Bolsonaro, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, vem sendo citado na imprensa nacional e local como possível substituto de Abraham Weintraub no Ministério da Educação (MEC). Ao Blog Educação Dialógica, o secretário afirmou que esse possível cenário é "só especulação". 

A administração do MEC é um grande peso para o governo, que sofre com as performances um tanto desastrosas dos gestores que assumiram a pasta. A ideia seria que, após a aprovação da reforma da previdência, atual foco do Governo, haja outra mudança no Ministério da Educação - a terceira no primeiro ano de gestão de Bolsonaro. 

Por que Rogério?

Indicação que deu certo nos planos do atual governo, Rogério Marinho tem se mostrado um forte aliado do presidente. Notabilizado pela atuação na área da Educação durante seus mandatos como deputado federal, ele pdoeria ser o nome da vez para o MEC. 

Rogério é graduado em Ciências Econômicas pela Faculdade Unificada para o Ensino das Ciências (UNIPEC), atual Universidade Potiguar (UnP) e atuou como professor da rede estadual de ensino do Rio Grande do Norte.

Como deputado, foi relator do projeto que mudou as regras do Fundo de Financiamento ao Estudante (FIES), possibilitando financiamento de 100% das mensalidades, uso de FGTS para amortizar dívidas, inclusão de mestrado e doutorado nos financiamentos, e a criação do Fies solidário. Fez parte da Comissão Especial do Plano Nacional de Educação, onde atuou como sub-relator do Ensino Médio e Profissionalizante, e foi um dos autores da emenda que destina 10% do PIB para a educação.

Metrópole Digital

O Metrópole Digital, implantado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), também teria sido um projeto de autoria de Rogério Marinho. Atualmente, milhares de jovens estão sendo capacitados pelo Metrópole na produção de softwares, atividade que vem dando destaque nacional ao RN como polo de tecnologia da informação. 

Foto: Adriano Machado / Reuters