O grupo do Banco Mundial formado pelos técnicos Fátima Amazonas, Paula Freitas, Esaú Pontes e Daniele Arruda conheceu, na manhã desta sexta-feira, 27, o Projeto de Concepção e Implementação do Parque Científico Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX). A explanação foi conduzida pela equipe multi-institucional que trabalhou na elaboração dos estudos que embasam o projeto, dentre eles: o diretor da Agência de Inovação (AGIR), Daniel Pontes, a assessora especial do gabinete que coordena o projeto do Parque, Ângela Maria Paiva Cruz, e o diretor do Parque Metrópole Digital, Anderson Paiva.

A consultora sênior, gerente do projeto no Banco Mundial e especialista em desenvolvimento rural Fátima Amazonas, observou que a ação evoluiu em relação à última reunião no mês de julho. “É interessante observar a alteração para terminologia do foco, abrangendo e enaltecendo agora o aspecto científico. Além disso, é elogiável a preocupação que vocês tiveram, no Estudo da Viabilidade Técnica e Econômico-Financeira, com a sustentabilidade do Parque de estar atrelada ao engajamento do setor privado, bem como o cuidado com os aspectos jurídicos relacionados ao Plano de Governança”.

No projeto de Concepção e Implementação entregue ao grupo, além do Estudo da Viabilidade Técnica e Econômico-Financeira, há o Projeto de Concepção Urbanística, Arquitetônica e Ambiental e o Plano de Governança. Ao discorrer sobre a importância do Parque para o estado e das potencialidades que ela enxerga, localizadas no entorno da localização do PAX, a consultora sênior identificou o aspecto hídrico como um dos pontos a se considerar na proposta, haja vista ser uma das necessidades para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte e, também, pela presença física da Escola Agrícola de Jundiaí, unidade da Universidade Federal do Rio Grande do Norte cuja sede fica situada a cinco quilômetros do Parque.

O projeto será analisado pelo Banco Mundial em duas frentes. A primeira pela equipe que veio ao Rio Grande do Norte e a segunda por uma equipe específica mais ligada à inovação. O secretário extraordinário de Gestão de Projeto e Metas e coordenador geral do Governo Cidadão, Fernando Mineiro, pontuou que há uma decisão, de Governo, para a instalação do PAX, e que o financiamento pleiteado acelera a iniciativa. Ele acrescentou que o projeto do Parque integra o programa Governo Cidadão, cujas ações são financiadas através de empréstimo com o Banco Mundial.

Sobre o PAX 

Localizado na cidade de Macaíba/RN e uma área prevista de 50 hectares, o Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX) está inserido em um ambiente de inovação proveniente da parceria entre Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação/ICTs, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Federação das Indústrias, Federação do Comércio, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e prefeituras da Região Metropolitana de Natal. O PAX tem vocação inicial nas áreas de energias, reabilitação em saúde e tecnologia de informação com ampla oferta de espaços e serviços para as entidades apoiadoras e empresas. O Parque contará também, em seu ecossistema, com incubadora e aceleradora de empresas, oferta de serviços de propriedade intelectual através da Agência de Inovação da UFRN e de diversos laboratórios de pesquisa e inovação das ICTs associadas.