O ex-secretário de Cultura de Bolsonaro, Roberto Alvim, que foi demitido pelo presidente após divulgar um vídeo contendo referências nazistas, pediu perdão hoje após a repercussão negativa que causou para o governo.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, na manhã desta sexta (17), Alvim disse que não houve associação intencional com o nazismo em seu discurso, que foi publicado por ele na conta do Twitter da Secretaria Especial da Cultura na noite desta quinta (16).

"A frase que eu escrevi é absolutamente correta", disse. "Peço perdão por essa infeliz coincidência retórica, mas não houve nenhuma associação com o nazismo, que encarnou o mal absoluto", desculpou-se. "Não se pode depreender daí qualquer associação ao espúrio, nefasto e genocida ideário nazista, ao qual eu tenho repugnância", disse.