O sarampo é uma doença altamente contagiosa, que provoca febre, tosse persistente, coriza, conjuntivite e manchas vermelhas no corpo. Nos casos mais graves, pode resultar em pneumonia, doenças neurológicas e até mesmo morte.

A vacina é a melhor forma de prevenção contra o sarampo. Apenas duas doses na infância são suficientes para garantir proteção para o resto da vida.

O Ministério da Saúde lançou, neste mês, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza e o Sarampo. No caso desta enfermidade, a aplicação de vacinas está voltada para a imunização dos trabalhadores da saúde e de crianças com idades entre 6 meses e 5 anos (até 4 anos, 11 meses e 29 dias).

Mesmo adultos que não sabem se foram vacinados na infância contra o sarampo devem tomar nova dose. O médico Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), afirma que a dose a mais não traz riscos para as pessoas que não têm certeza se tomaram o esquema completo.

“Caso não tenha o seu cartão vacinação ou não lembre se tomou essa vacina na infância, vale a pena tomar mais uma dose”, sugere Kfouri.

Com informações do Metrópoles