05/08/2019 20:43

LA MANO DE DIÓS E A VISÃO DO ÁRBITRO

LA MANO DE DIÓS E A VISÃO DO ÁRBITRO

A Copa do Mundo é um espetáculo no planeta Terra. Fazer um gol numa Copa do Mundo é ser imortalizado. Mas, talvez, o gol mais emblemático de todas as Copas, desde 1930, seja o gol de mão que Maradona marcou no célebre Argentina e Inglaterra, em 1986, no lendário Estádio Azteca, no México. Ilegal? Talvez! Genial? Sem dúvidas!!! Assim como genial é essa história.

O árbitro da partida foi o tunisiano Alli Bennaceur. Foi ele quem validou o gol. Mas o fez após consultar o assistente, o búlgaro Bogdan Dotchev, que deu o sinal positivo e Bennaceur apontou para o centro do campo. Ao fim do jogo, no vestiário, o tunisiano e o búlgaro não tinham um idioma em comum, precisando do auxílio de um intérprete para conversarem. Pediu Alli que perguntasse a Dotchev se tinha certeza sobre a validade do gol, tendo o assistente respondido que sim e balançado veementemente a cabeça confirmando que o gol de Maradona foi com a cabeça.

Ao rever o lance nas imagens capturadas pela TV mexicana, o árbitro percebeu que o jogador argentino havia utilizado o braço para “crescer” alguns centímetros a mais que Peter Shilton, goleiro inglês. A vida dele nunca mais foi a mesma e o erro lhe perseguiu por toda a vida. Porém, como que tentando ser fiel ao que disse e, paradoxalmente, quase como um pedido de desculpas, o búlgaro passou a enviar, a cada Ano Novo, um cartão de boas festas ao colega tunisiano com a mesma mensagem: “Não foi com a mão. Feliz Ano Novo. Bogdan Dotchev”.

Alli Bennaceur, ao falar sobre o lance, ri e desconversa:

-“Dirigi o jogo do melhor jogador do mundo, ganhei a camisa de presente e ainda vi o gol do século à minha frente. O que mais posso querer?”.

Créditos de Imagens e Informações para criação do texto: “As melhores história do futebol mundial” (Sérgio Pereira)

PUBLICIDADE