Falar em jejum é exagero e até injustiça pelo retrospecto, mas uma estatística é inevitável: Gabigol igualou sua pior série sem gols sob o comando de Jorge Jesus. Ao passar em branco no Fla-Flu decisivo da Taça Rio, o camisa 9 completou três jogos em ir às redes. Marca que serve de motivação e aumenta a responsabilidade do já artilheiro do Carioca para a decisão.

Goleador da Copa do Brasil três vezes, do Brasileirão duas e da Libertadores uma, Gabigol fica com o posto em um estadual pela primeira vez na carreira. Caso volte a marcar em um dos dois jogos finais contra o Fluminense, se isola na condição de artilheiro, que divide com João Carlos, do Volta Redonda - ambos têm oito gols.

Gabigol com Jorge Jesus

 

 

  • 46 jogos
  • 40 gols

É bom frisar que a falta de gols está longe de representar queda de rendimento individual para o atacante. Se não balançou as redes, foi garçom dos companheiros com quatro assistências, duas contra o Bangu e duas contra o Volta Redonda. Bruno Henrique foi o mais beneficiado, com três passes decisivos - o outro foi para Pedro Rocha.

Sob o comando do Mister, Gabriel ficou três jogos consecutivos sem fazer gol apenas uma vez: contra o Santos, pela última rodada do Brasileirão, e diante de Al Hilal e Liverpool no Mundial de Clubes. Com Jorge Jesus, foram incríveis 40 gols marcados em 46 jogos. O último aconteceu diante do Barcelona de Guayaquil, dia 11 de março, pela Libertadores.

Globo Esporte