A Cooperativa Sicredi anunciou na manhã de hoje a suspensão de seu patrocínio ao Operário de Várzea Grande, após o clube confirmar a contratação do goleiro Bruno Fernandes. A chegada do reforço também causou revolta em torcedoras do clube e no Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso.

Bruno foi condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, homicídio e ocultação de cadáver da ex-namorada Eliza Samúdio, em 2010, e obteve autorização da Justiça de Minas Gerais viver em Mato Grosso e defender o Operário. 

Uma manifestação contra a chegada de Bruno está marcada para acontecer nesta terça-feira (21), às 19h, no portão principal do estádio Dito Souza, em Várzea Grande. A presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso, Gláucia Amaral, explicou que o grupo não é contra a ressocialização, mas repudia a possibilidade de o goleiro voltar a ser um ídolo. 

Fonte: Uol