epois de dois incidentes com "penetras", o comando da pré-campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) inaugurou, na noite deste domingo (26), estrutura reforçada de segurança para eventos fechados com o petista. Foram instalados dois pórticos para detecção de metal logo à entrada do restaurante onde Lula e o vice, Geraldo Alckmin (PSB), participaram de jantar com cerca de 200 convidados. Na frente do local, havia pelo menos 15 seguranças. As novidades foram implementadas apesar das resistências do ex-presidente Lula. Além da checagem de nomes em lista, os participantes receberam um pin sem o qual não era possível circular pelas dependências do restaurante, em zona nobre de São Paulo. Organizadores pediram que convidados deixassem os aparelhos de celular na chegada ao evento. O jantar serviu de teste para campanha de arrecadação que o PT pretende lançar em julho. Segundo organizadores, o partido arrecadou cerca de R$ 3 milhões com a contribuição de seus participantes, entre advogados e empresários. Os cuidados com segurança aconteceram depois de seguidos incidentes. O mais recente aconteceu na terça-feira (21), durante ato de lançamento das diretrizes do programa de governo da chapa Lula-Alckmin. O discurso de Lula foi interrompido pelo protesto de um bolsonarista que, ao lado de dois outros, driblou o esquema de segurança e entrou no salão onde ocorria o evento, restrito a convidados. Não havia detectores de metal na entrada do salão. Os cerca de 150 convidados não foram submetidos à revista. A abordagem do manifestante, que se aproximou Lula e Alckmin sem que fosse detido por um segurança, provocou um alerta na cúpula petista. Após o incidente, a necessidade de novos protocolos de segurança foi discutida com o próprio candidato. Foi a segunda vez que a estrutura de segurança foi facilmente burlada. A primeira vez aconteceu no casamento do petista, no dia 18 de maio. Com informações da Folha