Durante o assalto a uma transportadora de valores no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), um assaltante foi morto com um tiro disparado por um sniper. Na fuga, um dos criminosos entrou na casa de uma família e uma mulher e uma criança de 10 meses foram feitas refém.

Armado, ele ligou para o 190, informou que estava com as reféns e pediu que a imprensa fosse ao local. Às 13h40, a criança que era feita refém junto à mãe foi libertada. A criança deixou a casa no colo de uma policial militar.

Logo após a saída dele, foram escutados barulhos de tiros. Uma equipe do Corpo de Bombeiros entrou no local com uma maca.

LEIA MAIS: Assalto em aeroporto de SP tem reféns, troca de tiro e dois mortos; assista

A Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e o Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) foram mobilizados para o local. Por volta das 14h30, o Gate informou que o criminoso foi morto após ser atingido por um tiro disparado por um sniper.

Coronel Luiz Augusto Pacheco Ambar, comandante do Gate, afirmou que "as negociações caminhavam muito bem, até que o meliante, com a arma na cabeça da refém, que tinha a filha no colo, se aproximou da porta e aumentou a agressividade de forma desconhecida".

"Então, o sniper, que estava posicionado do outro lado da rua, efetuou um disparo, um tiro de comprometimento, e a equipe tática fez a invasão. Estão salvas as duas vítimas. A criança saiu no colo, bem. E a mãe saiu com um ferimento leve na nádega esquerda e foi socorrida", complementou o comandante.

Fonte: UOL