Cultura no Ponto

29/06/2019 11:04

Conexão Elefante Cultural chega próxima semana a Natal

Fotos: Brunno Martins

Conexão Elefante Cultural chega próxima semana a Natal

O projeto Conexão Elefante Cultural chega na próxima semana a Natal com três apresentações gratuitas. O espetáculo une dança, teatro e circo e é realizado em um caminhão customizado que leva a Trupe da Luz.

Idealizado e coordenado pela diretora cênica e produtora cultural, Diana Fontes, o Conexão Elefante Cultural tem como missão levar arte aos quatros cantos do estado do Rio Grande do Norte. A turnê da Trupe da Luz 2019 já passou pelas cidades de Pendências, Guamaré, Ielmo Marinho, Pau dos Ferros, Martins, Umarizal, Mossoró, Serra Negra do Norte, Timbaúba dos Batistas, Caicó e Jucurutu.

Com patrocínio da COSERN/Instituto Neoenergia, através da Lei Câmara Cascudo, Governo do Estado, Fundação José Augusto e com a realização de Diana Fontes Direção e Produção Cultural, o projeto traz na sua Trupe da Luz os grupos Cia Arte do Riso de Umarizal/RN; Coletivo Cida e Sociedade T de Natal/RN e Cia Pão Doce de Teatro de Mossoró/RN.

As apresentações acontecem em três pontos da cidade: Parque das Dunas, Largo do Memorial Câmara Cascudo e Instituto Juvino Barreto nos dias 6 e 7 de julho.

 

Confira a programação:

06/07 - Parque das Dunas às 10h

06/07 - Largo do Memorial Câmara Cascudo às 16h

07/07 - Instituto Juvino Barreto às 10h

28/06/2019 23:58

Espetáculo Flúvio e o Mar na Casa da Ribeira

Fotos: Divulgação

Espetáculo Flúvio e o Mar na Casa da Ribeira

O espetáculo "Flúvio e o Mar" do Coletivo Atores à Deriva, com texto e direção de Henrique Fontes, vem há nove anos circulando pelos principais festivais e mostras de Teatro do Brasil (Recife, Garanhuns, Fortaleza, Guaramiranga, Presidente Prudente, Feira de Santana, entre outros) e já foi visto por mais de 50 mil espectadores.

Esse musical infanto-juvenil fala sobre as escolhas que fazemos na árdua jornada de crescer na busca da realização. A peça trata também do dilema que vivemos hoje diante da preservação das nossas águas.

O personagem Flúvio é um garoto de nome aquático que mora na pequena cidade de Elmo das Pedras. Um dia ele decide partir em busca do mar. No caminho ele encontra personagens esquisitos e engraçados que irão lhe aconselhar e também lhe desafiar. A busca do mar de Flúvio é uma jornada de aprendizado e descobertas. Crianças e adolescentes se identificam muito com os dilemas desse herói. Será que Flúvio consegue alcançar seu objetivo? Será que o mar é mesmo um lugar dos sonhos? Embarque nessa aventura!
 

Espetáculo Flúvio e o Mar

Local: Casa da RIbeira (R. Frei Miguelinho, 52 - Ribeira, Natal - RN)

Horário: 16h

Data: 30 de junho (domingo)

Classificação: Livre

Ingressos: www.sympla.com.br/teatrocarmin

Valor: R$ 30 (Inteira) | R$ 15 (Meia/Clube Amigo da Casa)

27/06/2019 23:09

Neste dia 30, última edição especial de São João do Domingo na Arena

O trio pé de serra Trancelim, formado pelos forrozeiros Ângela Castro, Maira Soares e Lipe Guedes, será uma das atrações da última edição especial de São João do ‘Domingo na Arena’. O projeto sócio-cultural da Arena das Dunas, que tem o apoio do Sistema FIERN, ‘Cultura na Praça’ e ‘Som na Caixa’, abre os portões às 15h neste domingo (30). Entre as 15h e 17h, haverá vacinação antirrábica gratuita para cães e gatos, promovida por técnicos da Prefeitura do Natal.

O forró dita o ritmo da maioria das atrações no palco principal do ‘Domingo na Arena’. Além do Trio Trancelim, que se apresenta às 18h30, o Arraiá com a ‘Brincantos’ (17h) e o Aulão de Forró da A2 Academia de Dança (18h) prometem animar os turistas e famílias potiguares.

A programação do palco principal começa movimentada, a partir das 16h, com zumba e ritmos, sob a orientação dos instrutores da academia NO2 Fitness. Os desportistas de plantão vão ter toda a rua projetada (entre o estacionamento externo e a Arena das Dunas) para a prática de caminhada, cooper ou para andar de skate, patins e bicicleta.

27/06/2019 22:48

Fest Bossa & Jazz divulga primeiras atrações de Pipa

Com realização de Juçara Figueiredo Produções, o Fest Bossa & Jazz prepara prévia e lançamento para o dia 13 de julho, no Mirante Sunset Bar, na praia da Pipa e confirma já quatro nomes que farão parte da programação do festival que acontece de 15 a 18 de agosto.

Para comemorar os 10 anos e dar início ao circuito 2019, o Fest Bossa & Jazz repete o sucesso da última edição e segue com a proposta de deixar o público próximo dos artistas no melhor estilo de New Orleans (EUA). O formato permite espalhar música aos quatro cantos de Pipa e gerar contato intimista com o público através dos pockets shows gratuitos entre ruas, galerias e praças durante a noite, distribuídos em cinco polos ao longo da avenida principal, a Baía dos Golfinhos. Já à tarde, os shows acontecem em três restaurantes na praia do centro. No total, serão mais de 40 apresentações em quatro dias de evento.

As primeiras atrações lançadas para levar o sopro da música são:

Banda Terráquea & Cacá Magalhães (BA), liderada pelo guitarrista norte-americano Lon Bové, que mistura soul, jazz e rhythm and blues com ritmos afro-baianos e traz nos vocais, desde 2017, o fenômeno Cacá Magalhães, uma menina de 12 anos que interpreta clássicos de Nina Simone, Aretha Franklin e outros grandes nomes da música;

Os mossoroenses do Brazuka Jazz (RN), resultado da união de três músicos autodidatas, Humberto Luiz (piano), Alisson Brazuka (guitarra) e Gustavo Almeida (bateria) levando com muita identidade o som para esta edição.

Indiana Nomma (Honduras / Rio de Janeiro), trazendo ao festival um Tributo a Mercedes Sosa – eterna representante da música latino americana - com participação de André Siqueira no violão e Tomás Ribas, que atuam e recitam textos e contam com o apoio da Fundación Mercedes Sosa, na Argentina. 

E os natalenses Duetto Cabroso, formado pelos músicos Edmilson Cardoso e Gilberto Cabral, com o seu duo de xilofone e trombone que refletem a mistura dos elementos populares e eruditos, expandindo possibilidades técnicas de execução para mostrar o melhor da música, com os potiguares compositores, arranjadores e componentes de dois importantes grupos musicais do RN, a Orquestra Sinfônica do RN e a Banda Sinfônica Cidade do Natal. 

O Fest Bossa & Jazz, em Pipa, tem patrocínio do Preserve Pipa, Prefeitura de Tibau do Sul e apoio do Governo do Estado, em uma realização de Juçara Figueiredo Produções. Após passagem por Tibau do Sul, o evento segue para Mossoró, de 19 a 21 de setembro e, por fim, São Miguel do Gostoso, de 10 a 13 de outubro.

Com apoio da Gran Cru, a prévia acontece dia 13 de julho, no Mirante Sunset Bar, a partir das 16h e segue até às 21h. Para embalar a noite, já na abertura, a versatilidade da Duo Maresia, em pegada reggae roots com jazz, formada pelos argentinos Mauricio Tavella (guitarrista e compositor) e Gabriel Gonzalez (saxofonista), e participação de Pris DeNé. Em seguida, o DJ Mangue, com seu ecletismo e, para finalizar, a banda Parahyba Ska Jazz, conhecida por sua fusão do Ska com reggae, jazz e o funk, mistura perfeita, marcada também pela influência jamaicana, para sentir a brisa leve que só a praia da Pipa tem.

O local será formatado especialmente para o evento, com palco e espaço específico para receber convidados, uma sintonia perfeita entre a música e as belezas naturais. Localizado próximo ao centro, dentro dos Chalés Mirante de Pipa, não é possível ter acesso com carro, pois a parte do bar não possui estacionamento. Para adquirir os ingressos antecipadamente, acesso os sites www.festbossajazz.com.br e https://mirantesunsetbar.com.br/.

26/06/2019 13:36

Fórum Potiguar de Cultura sugere 22 diretrizes para o PPA da cultura potiguar

O processo de construção do Plano Plurianual do Estado, equivalente ao período de 2020-2023, está em fase elaboração por meio de consulta pública e visitas a dez municípios pólos do estado para a realização de consulta popular. O Fórum Potiguar de Cultura (FPC) não poderia deixar de dar a sua contribuição para a construção da proposta e, para isso, produziu um documento com 22 Diretrizes para a Cultura do RN, que serão sugeridas para inserção no PPA e já foram entregues à governadora e aos gestores da Fundação José Augusto.

“Acreditamos que esse seja o documento que pode orientar os fazedores de Cultura a participar desse momento. Acessem o documento por meio das nossas redes sociais e participem dos encontros em suas cidades. Vamos eleger as prioridades para as políticas culturais em nosso estado”, explica Esso Alencar, membro da comissão executiva do FPC.

As visitas para consulta pública do PPA estão sendo realizadas nas cidades pólos de várias regiões do RN, como: Canguaretama, São Paulo do Potengi, João Câmara, Pau dos Ferros, Apodi, Mossoró, Lajes, Santa Cruz, Caicó e em Natal. O documento está disponível para consulta online no portal da Secretaria Estadual de Planejamento e das Finanças (Seplan) e receberá propostas até o dia 30 de junho.

O Plano Plurianual (PPA) é o instrumento estratégico de planejamento público onde são indicadas as diretrizes, programas, objetivos, metas e iniciativas que serão alvo dos esforços do governo no período de quatro anos. As prioridades definidas pela população servirão de norte para a elaboração do PPA. Essas propostas serão analisadas sob o ponto de vista estratégico, de alinhamento com as diretrizes da política de governo, e financeiro, sob a viabilidade de execução. O governo tem até 31 de agosto para construir o PPA e entregar à apreciação na Assembleia Legislativa. 


As 22 Diretrizes para a Cultura do RN sugeridas pelo FPC são:

1. Criação de uma Secretaria Estadual de Cultura, com dotação orçamentária para manter e aperfeiçoar o funcionamento pleno dos órgãos da administração direta, autárquicos e fundacionais ligados à esfera da cultura do Estado;

(A cultura é um segmento essencial para o desenvolvimento do Estado, entendemos a situação de limite prudencial e a situação orçamentária restritas, com 86% do RCL do RN comprometido coma a folha e pagamento, contudo, não podemos nos furtar deste momento de criar os caminhos seguros para o desenvolvimento do RN. A cultura é um segmento forte, em diversos aspectos, e ainda mais econômico, por gerar muitos empregos e por ser a força motriz para o desenvolvimento humano e social).

2. Sanção e regulamentação do Plano Estadual de Cultura/RN após sua tramitação e aprovação na ALRN;

(O FPC atuará também junto a Assembleia Legislativa, contudo a gestão executiva precisa ter como prioridade estabelecer um Plano de Cultura coerente para os próximos 10 anos e dar o exemplo no cumprimento de metas).

3. Implantação do Sistema Estadual de Cultura - estimulando a integração dos municípios com ações de fortalecimento dos setoriais da cultura (segmentos artísticos);

(Estabelecer um ambiente de gestão entre Estado e Municípios e garantir a efetiva participação do RN nas Políticas Nacionais).

4. Constituição de um Conselho Estadual de Políticas Culturais, de caráter deliberativo, fortalecendo a sociedade civil e os mecanismos de participação da classe artística, dos movimentos organizados da sociedade civil, e com atenção aos diversos setoriais das artes;

5. Atualização de todas as leis que constituem os marcos legais da cultura do RN, com atenção a Lei do Fundo Estadual de Cultura, com a criação de um Sistema de Financiamento a Cultura robusto e capaz de abrigar diversas formas de acesso e aplicação de recursos financeiros para a cultura;

6. Abertura de um Centro Cultural na capital capaz de abrigar conteúdos das mais diversas linguagens artísticas, atendendo as especificidades de demandas estruturais e técnicas de cada linguagem, com o objetivo de absorver e fazer fruir a produção artística potiguar com atividades contínuas e programação regular voltada para as nossas artes;

7. Revisão da meta orçamentária para a área cultural, com a consequente ampliação dos recursos repassados diretamente as entidades culturais, grupos e artísticas atuantes do RN, impedindo remanejamentos dos recursos orçamentários destinados a cultura e adequando-se ao SNC;

8. Interiorização das ações culturais, com foco na capacitação de gestores e profissionais das artes, manutenção dos equipamentos públicos culturais e formação de novos públicos, usando a rede de equipamentos já existentes através de circuitos culturais a serem fomentados profissionalmente, com recursos garantidos no orçamento (LDO e LOA), sem autorizações para remanejamentos, garantindo a contratação de equipe técnica qualificada, com planejamento e metodologias definidas.

9. Instalação de uma rádio pública para difusão do conteúdo artístico-educativo produzido no estado;

10. Democratização e transparência na liberação dos recursos destinados à Cultura através da criação e execução de editais públicos, respeitando e contemplando as especificidades dos setoriais de cada uma das linguagens artísticas;

11. Atuação de forma integrada com outras secretarias de Estado e órgãos afins com o objetivo de desenvolver programas transversais envolvendo áreas importantes, priorizando Programas de Cultura e Educação, Programa de Cultura e Turismo, Programa de Cultura e Saúde, Programa de Cultura e Meio Ambiente, Programa de Cultura e Assistência Social.

12. Fortalecimento das manifestações da diversidade cultural existente, com diretorias representativas dos setores culturais organizados no organograma da gestão, protegendo o patrimônio histórico e artístico, material e imaterial.

13. Preservar, fomentar e apoiar a prática das artes na rua, promover a normatização garantindo a não oneração das atividades e a viabilidade econômica.

14. Criar o Programa Casas de Cultura, com recursos específicos na LDO e LOA, para garantir a regularidade de conteúdos pertinentes e abrangentes a todas as Casas de Cultura, a manutenção dos equipamentos em pleno funcionamento.

15. Criar organograma do órgão gestor de cultura para apoiar a gestão e garantir quadros de profissionais especializados para gerir equipamentos, setoriais e grupos artísticos do estado, atuando com capacidade de gestão para manter o pleno funcionamento dos equipamentos, das ações setoriais e dos grupos artísticos do RN.

16. Apoiar, fortalecer e promover projetos voltados para a promoção, preservação, proteção e difusão dos valores sociais, econômicos, culturais das comunidades tradicionais de terreiro, quilombos e ciganos e reconhecer povos tradicionais do campo e da cidade com recursos financeiros financiados por editais, chamamentos públicos e convênios. Em eixos fundamentais para promover a inclusão dos povos tradicionais de direitos, previsto pela Constituição: o social, o cultural e o de gestão da informação.

17. Reconhecer e fortalecer os movimentos culturais promovidos e mantidos pela sociedade civil organizada, a exemplo do Escambo, Artistas na Gestão, Federação de Teatro Amador, Fórum Potiguar de Cultura, entre outros.

18. Criar o Programa de Fomento e Fruição Artística priorizando os municípios que não possuem equipamentos culturais, podendo utilizar equipamentos públicos fechados e abandonados como equipamentos culturais;

19. Garantir a criação dos Sistemas Municipais de Cultura, para apoiar a organização institucional dos municípios;

20. Reconhecer os setoriais de cultura atuantes no RN, através de pesquisa e mapeamento;

21. Garantir a interface entre setoriais, com destaque para a interface do livro e leitura com as outras linguagens artísticas como o teatro, a música, o audiovisual, etc.

22. Criar o Programa Estadual de formação em arte.

20/06/2019 15:06

Fórum Potiguar de Cultura realiza Oficina sobre a Lei Câmara Cascudo

Fórum Potiguar de Cultura realiza Oficina sobre a Lei Câmara Cascudo

Dentro do projeto de construção de um diálogo com os personagens que fazem a cultura no Rio Grande do Norte, o Fórum de Cultura Potiguar (FPC) promove a oficina "Debatendo a Lei Câmara Cascudo" no dia 22 de junho, das 9h às 12h, no Teatro de Cultura Popular Chico Daniel. A participação do público é aberta e gratuita.

A oficina será composta por três painéis apresentados por conhecedores da Lei Câmara Cascudo, são eles: João Flávio, servidor da Secretaria Estadual de Tributação (SET) e membro da Comissão Normativa da Lei Câmara Cascudo, que irá apresentar os procedimentos relacionados à renúncia fiscal dentro da tramitação legal, o que a lei autoriza e o que a lei não engloba; Paulo Sarkis, músico, vice-presidente do Sindicato de Músicos do RN e membro da Comissão Normativa da Lei Câmara Cascudo; e Ana Morena, musicista, fundadora e gestora do Combo DoSol, com experiência em projetos realizados com recursos captados via Lei Câmara Cascudo.

Um dos objetivos do Fórum Potiguar de Cultura é dialogar para a construção de uma política de financiamento à cultura mais adequada à realidade do Rio Grande do Norte e contribuir para que esse debate se estenda aos municípios, em busca de um sistema de financiamento à cultura. Em meio a esse tema existem dois marcos legais que merecem destaque: a Lei Câmara Cascudo e a Lei do Fundo Estadual de Cultura.

“Em 2016, o Fórum Potiguar de Cultura promoveu um encontro que apresentou uma minuta de Projeto de Lei para o SEFIC – Sistema de Financiamento à Cultura e, desde 2018, os encontros do fórum têm se dedicado a encontrar caminhos efetivos para uma melhoria no que tange à aplicação dos recursos estaduais para o segmento. A realização das oficinas é mais um passo que damos em coletivo para o alinhamento de informações, construção do conhecimento e exercício da democracia. Por isso a participação de todos que fazem a cultura no RN é muito importante”, afirma Renata Marques, membro da Comissão Executiva do FPC.

SOBRE FÓRUM POTIGUAR DE CULTURA

Criado em 2011, o Fórum Potiguar de Cultura é uma organização da sociedade civil com participação de artistas, produtores, redes setoriais, grupos e movimentos culturais. Tem se proposto a ser um espaço para dialogar questões relacionadas à produção, gestão e política cultural no âmbito estadual.

Sua atuação tem sido através de promoção de encontros e espaço de diálogos. Em 2012, através da realização do primeiro Encontro Potiguar de Cultura, foi desenvovida a “Cartilha de Diretrizes para a Cultura Potiguar”. Em 2014, essa organização realizou um debate entre os candidatos ao governo estadual e tomou a iniciativa de indicar ao eleito uma lista tríplice com nomes para a gestão da área. Também foi responsável pela realização do terceiro, quarto e quinto Encontro Potiguar de Cultura, em 2016, 2018 e fevereiro de 2019, nos quais foi gerada uma proposta para o Sistema de Financiamento Cultural, que vem sendo discutido desde então. 


Oficina "Debatendo a Lei Câmara Cascudo"

Local: Teatro de Cultura Popular Chico Daniel (Rua Jundiaí, 641 - Tirol, Natal - RN)

Horário: 9h às 12h

Data: 22 de junho (sábado)

*O conteúdo deste blog não representa necessariamente a opinião do portal.