Essa é provavelmente uma das perguntas que mais escutamos quando o assunto é o encontro de Vargas e Roosevelt, em Natal, no dia 28 de janeiro de 1943. A pergunta não é muito fácil de se responder. Entretanto, é possível afirmar que o veículo de matrícula 2083696, nº 7, do Exército dos EUA, se perdeu na história, como mais uma prova de que não preservamos nossa memória.

Como é possível se perder o palco de um dos momentos mais importantes de nossa história? Pois bem, após o ocorrido, o jeep chegou a ser preservado e exposto no terminal de passageiros do Aeroporto Augusto Severo, onde permaneceu até meados dos anos 1950 com uma placa resumindo sua importância, mas quando necessitaram de viaturas na Base Aérea de Natal (BANT), ele foi colocado de novo em serviço.

No livro a História da BANT, do coronel aviador da FAB, Fernando Hipólito da Costa, consta que o jeep foi a leilão e desde então nada se sabe. Em dez anos, uns dois propensos candidatos – restos de chassi e chapa de metal – ao jeep nº 7 apareceram, porém, nenhum deles se mostrou o verdadeiro. Com a ajuda de pesquisadores e colecionadores, a então Fundação Rampa conseguiu fazer a checagem entre o número do chassi e a matrícula, comprovando não ser verdade. Em 2019, um terceiro candidato surgiu, mas ainda não foi possível fazer a checagem.