A burrice passeia pela política brasileira e escoiceia a todos sem dó e piedade.

O cidadão e eleitor brasileiro, de um modo geral, gosta de tiradas grosseiras, algumas beirando a estupidez. Quando é dita pelo(s) político(s) de sua preferência fica embevecida, quando não vai ao delírio.

As falas de improviso de nossas duas maiores personalidades políticas da atualidade mostram isso com clareza cristalina. Se formos ao passado próximo e distante, as gafes, as grosserias e a estupidez de nossos liderem preenchem páginas e páginas.

Dito isso, sigamos. Afinal, ela, a burrice, que consome a direita e a esquerda, não se restringe aos ditos e as falas de políticos isolados.

Antes de seguimos, porém, façamos um adendo, para explicarmos brevemente o que vem a ser direita e esquerda, num país em que ser de esquerda é um qualificativo disputado por um sem-número de pessoas, digamos, descoladas, enquanto ser de direita é quase uma maldição.

Os termos direita e esquerda nasceram na França revolucionária do século XVIII e expressam, hoje, os ideais de manutenção da ordem instituída e da liberdade econômica (direita) e aqueles que querem reformá-la por meio de certo intervencionismo estatal (esquerda); para além delas, existe a extrema-direita racista e xenófoba e a extrema-esquerda revolucionária e adepta de utopias regressistas.

Feitas estas observações, cumpre destacarmos que a direita brasileira (estou escrevendo sobre a direita, em outro momento farei o mesmo sobre a esquerda) tem o hábito de se sentir atraída por personalidades políticas de discurso mistificador e populista ou retrógrado ou, ainda, por personalidade de reputação questionável.

O Brasil será um país melhor no dia em que a direita, parafraseando Sérgio Buarque de Holanda, deixar de ser atrasada e passar a conservadora. Mais, apresentar-se com decência, escolhendo dignamente as lideranças que vão representá-la. E que no quesito moralidade pública não se contente em constatar que a esquerda, quando esteve no poder, roubou tanto ou mais que ela.

Não há outro caminho para quem quer se apresentar como alternativa política viável.