A foto que ilustra este post é uma reprodução do jornal "Diário de Pernambuco, de 15 de maio de 1930

Há exatos 90 anos, em 13 de maio de 1930, pousava no Rio Potengi, em Natal/RN, um avião “Late 28”, matrícula F-AJNQ, batizado por “Conde de La Vaux”, comandado pelo piloto Jean Mermoz, auxiliado por Jean Dabry e Léopold Gimié, e que tinha a bordo um malote de cartas oriundo da Europa e com destino toda América Latina.

Desembarque do malote na base da CGA, no rio Potengi (Foto: João Alves de Melo / Livro Asas Sobre Natal)

O fato colocava Natal (de novo) na história da aviação, pois seria a primeira travessia aérea do oceano Atlântico com fins comercial e a tentativa de implantar uma linha aérea regular entre o “Velho Continente” e o “Novo Continente”. Talvez o feito deste tipo mais importante, desde as primeiras travessias do oceano a caravela.

Na manhã do dia 12 de maio de 1930, o trio decolou de São Luís, no Senegal, com destino a Natal. A rota já era conhecida, com algumas experiências exitosas e outras nem tanto. A diferença desta travessia, é que seria totalmente aérea, sem contar com apoio dos “navios aviso”, e como já dissemos, com fim comercial, apesar de não ser transporte de passageiros.

 Jean Mermoz, Jean Dabry e Léopold Gimié (Acervo do autor)

A finaciadora da travessia, Companhia Generale Aeropostale [ sucessora da Latécoére e posterior Air France ] já estava em Natal desde 1927, inclusive, em 1928 os pilotos Costes e Le Brix, já tinham pousado na cidade, no Campo de Parnamirim. A aventura de Mermoz se deu em um hidroavião, portanto, teve que usar a base do Refoles, às margens do Rio Potengi, onde hoje existe a Base Naval de Natal.

Na madrugada do dia 13 de maio, o Late 28 pousa no rio e entra para a história da aviação mundial, tendo Natal como palco principal do espetáculo. Foram 22 horas de voo e 3.100 quilômetros percorridos, entre a cidade senegalesa e Natal.

Um mês depois, ele tentaria fazer o vôo em sentido oposto, contudo, fortes ventos impediram a decolagem do rio, portanto, surgiu a ideia de decolar de uma lagoa, escolhendo a do Bonfim. Mas isso é tema para um outro post.

Aeronave Late 28 “Conde de La Vaux” (Foto: Acervo do autor)

Anotações de Marcel Moine sobre os voos históricos da Aeropostale (Foto: Acervo do autor)