Educação Dialógica

Consciência ambiental desde a primeira infância

O contato com a natureza proporciona uma consciência ambiental e um engajamento para a preservação dos espaços verdes em nossa sociedade. Na Semana Nacional do Meio Ambiente, o Colégio Salesiano Dom Bosco, em Natal, inaugurou uma horta escolar que contribuirá para atividades de vários estudantes. A horta foi uma iniciativa dos alunos dos níveis IV e V da educação infantil, elaborada sob supervisão dos professores. 

As crianças utilizarão a horta como local para estudos sobre plantas e os benefícios que elas proporcionam à saúde. Para Marcia Godoy, coordenadora pedagógica do nível IV do ensino infantil ao 2º ano do ensino fundamental I, a ideia da horta surgiu para oportunizar aos alunos um convívio com o meio ambiente.

“A horta escolar foi criada para incentivarmos o cuidado com as plantas e propiciarmos aos nossos alunos o contato desde cedo com natureza, para que eles possam respeitar e cuidar do meio ambiente. A horta pretende oportunizar momentos em que as crianças participem do plantio, da manutenção das plantas e da limpeza do canteiro, com os procedimentos junto com o jardineiro da escola. Eles também vão acompanhar o crescimento das plantinhas, esperando o momento da colheita e da alimentação”, disse.

Espaço verde conta com plantio de hortaliças, como alface, cebola, coentro e tomate. Local serve para atividades fora de sala de aula para os educandos (Foto: assessoria de imprensa)

Natal está entre as primeiras cidades que receberão escola militar

A capital potiguar está entre as três primeiras cidades que receberão os colégios militares propostos pelo governo Bolsonaro. O anúncio foi feito ontem (4), em Brasília, pelo próprio presidente da república, durante a assinatura da declaração de interesse social da atividade em salinas em oito municípios potiguares, que têm como forte atividade econômica a produção do sal marinho.

A instalação da escola militar em Natal é um pleito defendido pelo Deputado General Girão, responsável por entregar ao ministro da Defesa um ofício solicitando unidade. O Brasil tem hoje 13 escolas militares, contemplando aproximadamente 13 mil alunos do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do médio.

Ex-ministros saem em defesa da Educação

Seis ex-ministros da Educação lançaram uma carta nesta terça-feira (4) em defesa das políticas públicas da área. O documento, assinado por José Goldemberg, Murilo Hingel, Cristovam Buarque, Fernando Haddad, Aloizio Mercadante e Renato Janine Ribeiro, foi apresentado em um evento na Universidade de São Paulo (USP) e pede a garantia de recursos, autonomia universitária e igualdade de acesso.

A representação dos ex-ministros defende o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e maior repasse a estados e municípios. Ela também critica os contingenciamentos e defende as pesquisas feitas em universidades públicas. "Há um ataque em várias frentes, como se a universidade fosse uma ameaça", disse Aloizio Mercadante, que foi ministro entre 2015 e 2016.

Entre os principais pontos da carta, destaca-se também: priorização da Educação e Saúde em qualquer Governo; contingenciamento como uma possível ameaça fatal; educação como estratégia para o crescimento da economia; ; educação básica como prioridade nacional; valorização de professores; reforma do ensino médio e aperfeiçoamento da gestão; inovação dos métodos de ensino; melhora das escolas, laboratórios e bibliotecas.

Observatório da Educação

Durante o evento, os ex-ministros também anunciaram a constituição de um Observatório da Educação, que será formado por eles, a fim de orientar gestores municipais, estaduais e políticos a respeito dos pontos da carta.

Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Mais de 2,7 mil bolsas de pós-graduação serão bloqueadas pelo Governo Federal

O Governo Federal segue agindo na política de contingenciamento anunciada na  pasta da educação. Com o objetivo de economizar cerca de R$ 300 milhões previstos para a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) em 2019, serão bloqueados 2.724 bolsas de mestrado e doutorado a partir de junho deste ano. Os bolsistas atuais não serão prejudicados. 

Ao todo, serão congeladas 2.331 bolsas de mestrado, 335 bolsas de doutorado e 58 de pós-doutorado. Segundo a Capes, autarquia viniculada ao Ministério da Educação, 330 programas serão afetados. A medida em que os atuais bolsistas forem concluindo as pesquisas, as bolsas deixarão de ser ofertadas.

Com informações da Agência Brasil.

Educar para crescer: crianças arrecadam alimentos para Escola Padre João Maria

Um gesto simples e de um impacto grandioso. Através de um projeto escolar, crianças da Escola Lápis de Cor | MOV arrecadaram alimentos não perecíveis e doaram à Escola Estadual Ambulatório Padre João Maria - Casa da Criança, localizada na zona leste de Natal. A instituição atende cerca de 200 crianças na Educação Infantil e mais de 300 no Ensino Fundamental. 

A unidade passou a ser considerada como complementar ao serviço educacional oferecido pelo Estado e Município, integrando um grupo de entidades favorecidas pelo recebimento de verbas federais e municipais. Há muitos anos a escola luta pela renovação dos convênios com a administração pública. Ela chegou a receber recursos oriundos da Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica), captado pelo Governo do Estado, e do PPET (Programa Pré-Escola para Todos), através da Secretaria Municipal de Educação. 

 

Os alimentos foram entregues na última segunda-feira (03), após serem arrecadados durante a Exposição de Nutrição da Escola Lápis de Cor | MOV. A iniciativa reforça e desperta entre os estdudantes da escola privada a importância de preservar os valores sociais como amizade e solidariedade.

Colabore

A Escola Estadual Ambulatório Padre João Maria – Casa da Criança funciona em um prédio cedido pela Arquidiocese de Natal, em Tirol. Sob a coordenação da Congregação dos Religiosos de São Vicente de Paulo, a instituição sobrevive de doações da comunidade e mantém o serviço de alimentação para meninos e meninas em situações de baixa renda. Para mais informações, ligue: (84) 3232-6619.

Cresce frequência escolar de alunos beneficiados pelo Bolsa Família

Cresce frequência escolar de alunos beneficiados pelo Bolsa Família

Um dado interessante para quem acompanha o cumprimento das políticas públicas no Brasil. A frequência escolar dos estudantes beneficiados pelo Programa Bolsa Família teve o melhor índice desde 2007. A taxa de alunos em sala de aula, em fevereiro e março deste ano (período correspondente ao primeiro bimestre escolar) chegou a mais de 90%. Há doze anos esse índice era de pouco mais de 66%. 

Os dados são do Ministério da Educação, que monitora a frequência escolar dos alunos com idade entre seis e 17 anos cujas famílias recebem o benefício do Bolsa Família. O pagamento do benefício está condicionado à presença mínima mensal de 85% nas aulas dos alunos na faixa etária entre seis a 15 anos e de 75% dos jovens com 16 e 17 anos. Para garantir a participação no Bolsa Família, além da frequência escolar, os pais precisam garantir que os filhos recebam cudiados básicos de saúde. 

O percentual de estudantes que não frequentam a escola é justificado por questões de doenças, falta de transporte, gravidez precoce e desastres naturais. 

Blogs

Natal tem noite chuvosa com trovões e relâmpagos