18/03/2019 10:16

Equipe do SESI-Mossoró é classificada para o Torneio Mundial de Robótica

Equipe do SESI-Mossoró é classificada para o Torneio Mundial de Robótica

A Equipe Galaxy Forces, formada por alunos do Serviço Social da Indústria (SESI-Mossoró), que participou do Festival SESI de Robótica, que ocorreu de sexta-feira (15) a domingo (17), no Pier Mauá, no centro do Rio de Janeiro, foi classificada para a etapa internacional do Torneio, que acontece no Líbano.

O Superintendente do SESI-RN, Juliano Martins, participou da cerimônia de premiação, acompanhado do Coordenador de Robótica do SESI-RN, Anderson Barbosa e da Gerente Executiva de Educação do SESI-RN, Karenine Medina.

“A temática da equipe é o desenho Power Ranger e lá de Mossoró sairão para o Líbano representando o nosso RN, ele fizeram um macacão que exercitava os músculos inferiores e superiores com elástico theraband“, explicou Karenine.

A equipe Galaxy Force é composta pelos alunos Renalle Nogueira, Vanessa Praxedes, Lucas Rock, José Alfredo, e Néfi Angelo, e tem o professor Leonardo Garcia, como técnico.

A equipe PreaLisios, da Escola SESI Zona Norte, ganhou o Prêmio Espírito Esportivo. Karenine informou que eles desenvolveram todo o projeto solicitado e criaram um plano de marketing. “Apesar de terem problema com o carro, eles trouxeram o estilo equipe de garagem para o torneio e encantaram todos os juízes com sua simpatia, comprometimento, dedicação e foram tidos no torneio como exemplo de superação”.

A equipe é composta por Erick Camarão, Luís Eduardo Reis, Arthur Ryan Souza, Ryan Lima, Pedro Henrique Sagayama, Sammir Pegado, e pelo Técnico Diego Cavalcante.

O Festival reuniu mais 1.200 competidores, além de técnicos das equipes e juízes das competições. No evento, estudantes, professores e pesquisadores executam as diferentes etapas do processo de construção e de programação dos robôs, fruto do aprendizado na prática de Ciências, Matemática, Física e outras disciplinas ligadas à tecnologia.

Os participantes do festival foram divididos em equipes que disputaram em três categorias: FIRST LEGO League (FLL), FIRST Tech Challenge (FTC) e a F1 nas Escolas.

RESULTADO GERAL

A equipe Jedi’s, da Escola SESI Luiz Latorre, de Jundiaí (SP), conquistou o 1º lugar-geral, dentre as 84 participantes de todo o Brasil no Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League. O resultado vem depois do vice-campeonato brasileiro e o 3º lugar no World Festival dos Estados Unidos, em 2018.

Em 2º e em 3º lugar ficaram as equipes Los Atômicos, da Escola SESI de Araras, e a Red Rabbit, da Escola SESI de Americana, respectivamente, ambas de São Paulo. Ao ocupar o pódio da competição, os três times paulistas garantiram vagas no World Festival, considerado a Copa do Mundo da Robótica, em Houston, entre os dias 17 e 20 de abril. Outras equipes também se classificaram para torneios nacionais na Austrália, Estados Unidos, Líbano, Turquia e Uruguai.

Para o diretor-superintendente do SESI, Rafael Lucchesi, o resultado mais importante do festival é a transformação pela educação.”São jovens trabalhando na área de automação, robótica, inteligência artificial, se capacitando e se projetando. O aprendizado dessas competências será decisivo para as vidas desses estudantes. O festival é uma demonstração de domínio do conhecimento, mas também de trabalho em equipe e de controle emocional.”

De Goiás, a equipe Geartech Canaã, da Escola SESI Vila Canaã, foi considerada a melhor entre as 16 que competiram no primeiro FIRST Tech Challenge promovido pelo SESI. Com isso, ela também está classificada para o World Festival, em Houston.

As equipes do Nordeste quase dominaram o pódio do Torneio SESI F1 nas Escolas. Em primeiro lugar ficou a escuderia baiana SevenSpeed, da Escola SESI Reitor Miguel Calmon, de Salvador. A conquista garante a vaga para o mundial de Abu Dhabi, em novembro. Franciele Moraes, 16 anos, integra o time, com mais cinco colegas. “Vamos nos dedicar ao mundial de Abu Dhabi desde já. Teremos inclusive que estudar inglês para apresentar o projeto com precisão e representar bem o nosso Brasil”, contou emocionada com o resultado.

A 2ª posição foi para a equipe pernambucana GRT, da Escola SESI de do município de Goiana. No entanto, o 3º lugar foi conquistado pelo grupo Eagles, da Escola SESI Campinas, de Goiânia.

SOBRE O FESTIVAL

Cinco eventos integraram o Festival SESI de Robótica 2019: além das três disputas, foi realizado o Seminário 360 Jovem Tech pelo jornal O Globo, em parceria com o SESI e o Colégio PH. Nele, estudantes e especialistas em educação debateram sobre formação para o mercado de trabalho, tecnologias de ensino e o novo ensino médio.

Outro evento paralelo às competições foram as Oficinas Acesse, que convidaram o público a participar de atividades que uniram tecnologia, arte e programação de forma totalmente interdisciplinar.

SESI, FIRST e LEGO

O Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League é um programa internacional de exploração científica, que promove o ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática no ambiente escolar e contribui para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais para a vida. A cada ano o torneio estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para os alunos, em todo o mundo.

Desde 2006 o SESI investe na inserção da robótica educacional nas salas de aula. Atualmente, todas as suas 505 escolas pelo Brasil contam com o programa no currículo. Até o ano passado, o SESI realizava anualmente apenas o Torneio de Robótica FIRST LEGO, criado em 1998 pela FIRST, uma organização não governamental, em parceria com o Grupo LEGO. O SESI é a instituição responsável pela organização do torneio (etapas regionais e nacional) no Brasil desde 2013.

O tema da temporada 2018/2019, Em órbita, desafiou os estudantes a pesquisar sobre questões relacionadas a viver e viajar no espaço. Eles tiveram de identificar e propor uma solução inovadora para um problema físico ou social enfrentado durante as viagens de exploração espacial. Na arena, os robôs feitos pelos próprios alunos com peças de LEGO ainda tiveram de cumprir missões como se locomover em áreas com crateras, ajudar um astronauta a voltar em segurança para a base espacial e mover satélites para a órbita.

O torneio possui quatro tipos de avaliação: Projeto de Pesquisa para colocar as ideias no papel; Design do Robô para desenvolvê-lo; Desafio do Robô, quando a equipe tem de cumprir missões com o equipamento; e a Core Values, quando é avaliado o trabalho em equipe. Os melhores times da etapa nacional garantem vaga em torneios internacionais. Em 2018, a equipe Red Rabitt, do SESI de Americana (SP), foi a grande vencedora do mundial, entre 118 equipes de 60 países. O terceiro lugar também foi do Brasil, com as meninas da equipe Jedi’s, do SESI de Jundiaí (SP), grandes campeãs deste ano da etapa brasileira.

A conquista em Houston reforça uma trajetória de bom desempenho do Brasil desde 2013, que coloca o país como referência mundial no ensino da robótica. As equipes brasileiras sempre voltam premiadas dos torneios internacionais, seja entre os primeiros lugares, ou recebendo prêmios em programação, design do robô, inovação e projeto de pesquisa.